Instagram da semana

a b

1 – No dia 22 de maio recebi meu aviso de férias. Foram dez dias que passaram voando e que me dediquei em colocar a casa em ordem e os trabalhos da pós também. 2 – Na quinta-feira, dia 23, deu vontade de acordar e passar batom vermelho. Fui assim para o trabalho e curti o look.

 

c d

3 – No sábado, estava de bobeira em casa e resolvi testar meu delineador azul do Boticário. Não dá para ver direito na foto, mas ficou bem interessante. 4 – Já na segunda-feira, dia 27, minhas férias começaram oficialmente e aproveitei para comprar umas gordices no mercado. Esse Cappuccino da Nestlé vem com mini Alpinos. É uma delícia.

 

e f

5 – Na terça, dei uma passadinha no Boticário e acabei me empolgando. Comprei um perfume para o Pedro e mais umas coisinhas para mim. 6 – No dia seguinte, estava chovendo horrores por aqui e aproveitei para estrear as galochas que comprei em Londres.

 

g h

7 – No mesmo dia da chuva, tive janta com algumas amigas. Comidinhas deliciosas e papos pra lá de animados. Adoro! 8 – No feriado, dia 30, participei do Intercom Sul -congresso de comunicação para os três estados do Sul, onde ministrei uma oficina sobre jornalismo de moda. Na foto está parte dos meus “alunos” fazendo o exercício prático.

 

i j

9 – No final do feriado passei na redação para buscar um sedex que havia chegado para mim. Eram os novos batons da Maybelline, que recebi para testar. Em breve farei a resenha no Beleza. 10- Por fim, na sexta-feira, 31, dei uma zapeada pelos canais durante a tarde e me deparei com este programa. Bizarro!

Instagram da semana

1 2

1 e 2 – Para encarar a sexta-feira, dia 10 de maio, só com muuuito doce. O primeiro foi a sobremesa e o segundo o lanche no intervalo da pós. Depois ainda quero manter o peso, né? Mas sou muito formiga.

 

3 4

3 – No Dia das Mães fui para Candelária ver a minha. O domingo estava meio cinza, mas foi muito agradável. Passamos a data só nós três (eu, mãe e pai). 4 – Já ao longo da semana o  clima esfriou de vez e foi preciso tirar os cobertores do armário.

 

5 7

5 e 6- Na quinta, dia 16, aproveitei que o frio veio mesmo pra ficar e abri uma garrafa de vinho tinto chileno, da marca Santa Carolina. Delícia! Inverno nem chegou mas a temporada de vinhos já está aberta por aqui.

 

8 9

 7 – Na sexta-feira, dia 17, o look do dia pediu um casaco de lã. Aproveitei para usar o meu vermelho que comprei na viagem para Londres, em fevereiro deste ano. É muito quentinho. 8 – Já de noite, quando voltei para casa, havia chegado um exemplar da revista de moda que estou trabalhando como freelancer. Olha eu ali na página de colaboradores.

 

10 11

 9 – No sábado, dia 18 de maio, fui ao chá de panela da minha amiga Michelle. O registro é da decoração suuuper fofa. Amei. 10 – No domingo, para aproveitar o friozinho e a chuva, fui ao cinema com o Pedro e assistimos ao filme “Somos tão jovens”, que conta um pouco da vida do músico Renato Russo.

Instagram da semana

pao cha

1 – Como de costume, o final de semana passado foi de aula na sexta-feira à noite e no sábado pela manhã. Pão de queijo e café foram solução para matar a fome.
2 – Já no domingo, foi dia de experimentar o chá inglês comprado em Londres.

 

biblio evento

3 – Na terça-feira, dia 7, fui para Bento Gonçalves, na Serra, participar de um evento promovido pela Natura com a imprensa e blogueiras do Sul do Brasil. Registro da biblioteca do hotel.
4 – Foto com algumas das meninas que participaram dos dois dias de evento no Spa do Vinho. Em breve farei post sobre tudo e com muuuitas novidades da marca.

 

frio cafe

5 – A manhã de quarta começou com 2ºC em Bento. Muuuito frio, mas lindo.
6 – Café da manhã no hotel do evento da Natura. Voltei mais gorda de tão bem servida, haha.

 

natura cha2

7 – Registro do momento sobre maquiagens no evento da Natura. Linha Aquarela estará cheia de novidades.
8 – Na volta pra casa, ainda na quarta, uma pausa para um chá de Camomila. Adoro!

A morte e seus mistérios

interrogacaoMeu avô morreu há nove anos e uma das coisas que mais tenho medo é de esquecer o rosto dele. Parece meio bobo em um primeiro instante e, sim, existem fotos para recordar, mas com o passar dos anos acabamos esquecendo dos detalhes, daquele olhar que fazia a diferença, do sorriso, dos cabelos, da cor da pele e das mãos já enrugadas. Já não tenho mais com total clareza na minha mente a sua face e nos últimos tempos a saudade vem aumentando.

Lembro da música que ele mais gostava que eu cantasse pra ele e há dias em que do nada ele volta ao meu pensamento. Embora nossa convivência não tenha sido diária, sinto falta do meu avô. E a cada ano parece que o sentimento fica mais forte. Pode ser pela certeza de que ainda resta bastante tempo para revê-lo ou pela culpa de não visitar o local em que ele está sepultado.

A morte é algo, no mínimo, estranho. Muitos dizem que ela é a única certeza que temos na vida. Mas nem sempre é possível compreender o motivo que leva algumas pessoas a morrerem jovens, outras muito velhas e, ainda, aquelas que resolvem se matar. Tenho medo de morrer. Sempre tive. Deve ser herança da minha mãe, que sente o mesmo. Admito que embora saiba que precise estar preparada, não sei como será no dia em que perderei meus pais. Não sei e prefiro nem saber.

Nem vou entrar na questão de “para onde vamos quando morremos” porque a resposta depende da crença de quem está lendo este texto. Mas cada dia me convenço mais de que a vida é muito curta e de que é preciso dizer para as pessoas que amamos o quanto elas são especiais em nossas vidas. Sem vergonha de revelar sentimentos, mas com a certeza de que, se amanhã esta pessoa morrer, saberá que tinha ao seu lado alguém que a amava muito.

O que eu também não entendo

Não entendo muita coisa e acho que nem deveria mesmo. Que graça teria viver em um mundo em que nada mais surpreende? Sei do que gosto, mas principalmente do que não gosto. É muito mais fácil decidir onde não ir, o que não vestir, a pessoa que não agrada… Tão mais simples (e errado) é criticar os outros e não fazer melhor. Não sou a senhora perfeita, mas tenho consciência de grande parte dos meus defeitos.

Nesta vida de jornalista, em que todos os dias preciso escrever dentro dos padrões, acabo tendo vontade de falar sobre outras coisas. De jogar na tela branca um monte de letras que juntas podem formar frases com sentido – ou sem. De fazer crônica, de experimentar a poesia, e de fugir. Fugir do mundo politicamente correto em que a cada dia interpretamos nossos papéis diários na busca por ser a funcionária perfeita, a namorada perfeita, a irmã perfeita, e tantas outras perfeições.

Senti vontade de vir aqui. De alimentar este blog com um pouco de mim. Com anseios, desejos e dúvidas. Porque o que eu também não entendo pode ser o que você busca. E pode ser bom.