Melitta inicia produção de cápsulas no Brasil

Quem me conhece sabe que sou apaixonada por café. Agora fiquei sabendo de uma super novidade envolvendo o produto. A Melitta anunciou sua entrada no mercado de cápsulas compatíveis com o sistema Nespresso.

A Melitta estreia nesse segmento de monodose para o consumo doméstico com cinco versões de blends (Ristretto, Marcato, Staccato, Audacce e Tenuto), divididos em três diferentes grupos de perfis aromáticos: intensos, equilibrados e frutados.

Com fabricação nacional, em uma linha de produção exclusiva na unidade da Melitta em Avaré (SP), as cápsulas são feitas com material especial que impede vazamento, passagem de luz e oxigênio. Elas são hermeticamente seladas durante o processo produtivo e, por isso, não necessitam de dupla embalagem (flow pack).

As cápsulas Melitta, compatíveis com o sistema Nespresso, serão comercializadas, inicialmente, nos principais pontos de venda de todo o estado de São Paulo. Até o final do ano, a distribuição também acontecerá nas demais regiões do país.

Bem que a Mellita podia me notar e mandar uns cafezinhos aqui para casa, né? A gente iria curtir.

Fondue do Panela de Barro

Com esse friozinho nada melhor do que uma comida gostosa para aquecer o corpo (e alma, né?). A dica de hoje é o fondue do restaurante Panela de Barro aqui de Santa Cruz do Sul. A opção começou a ser disponibilizada há pouco tempo e, por enquanto, é oferecida apenas nas terças e quartas-feiras.

Funciona assim: começa com o queijo (amoooo) acompanhado por pão, batata, brócolis e goiabada. Depois vem a parte das carnes na pedra (frango, gado, porco e linguiça) e diversos molhinhos delícia. Por fim, é a vez do chocolate com marshmallow, wafer, morango, uva, kiwi e banana.

Deu água na boca, não deu? Tuuuudo isso custa R$ 54,90 por pessoa. Eu achei o preço justo, já que há reposição de todos os itens durante o jantar, caso você queira. Fica a dica para quem gosta de comer bem, em um ambiente muito bacana. Eu, é claro, escolhi uma tacinha de vinho tinto para acompanhar (clique nas fotos para ampliar).

 

 

REDES SOCIAIS
Instagram
Facebook

Endereço: Rua Borges de Medeiros, 394. Santa Cruz do Sul, RS.
Fones: (51) 3715-6074 e (51) 9558-4318. E-mail: reservaspaneladebarro@gmail.com.

fondue

Evento Food Garden: Comida do Amanhã

IMG_5485

Você já ouviu falar das plantas alimentícias não convencionais, as pancs? Conhecidas popularmente como inços, mato ou daninhas, elas são espécies nativas que podem substituir diversos produtos. Eu também não tinha conhecimento sobre o assunto até participar no sábado passado do evento Food Garden: Comida do Amanhã, idealizado pela Unisinos e realizado na Casa Destemperados, em Porto Alegre. Eu e mais algumas blogueiras do RSBloggers estivemos por lá conhecendo de perto um pouco mais sobre este projeto incrível que conto os detalhes a seguir.

Oito chefs prepararam receitas deliciosas usando estes ingredientes não tradicionais, mas que possuem propriedades nutricionais e medicinais. Por lá foi possível provar ravioli de bertalha com tomates secos, ricota e nozes; uma salada de trigo com capuchinha e queijo quark; o mexido mineiro com bertalha; uma polenta mole com ragu de ora-pro-nobis; o risoto de capuchinha com queijo Camembert e mel; nhoque de ricota com ora-pró-nobis com molho de nirá; gyoza de ora-pró-nobis, costela e acelga; além da deliciosa cheesecake de amora negra e cramble. Ufa! Foram muitas (e boas) opções.

IMG_5487

As estudantes de biologia da Unisinos, Andreza Livramento, Bruna Pedroso, Adriana Martelli e Elisiane Wolf, são as responsáveis pelo projeto que transforma as plantas em um ingrediente a mais na cozinha. A ideia surgiu a partir do desafio mundial de combate à fome chamado Thought For Food, em que cada equipe deveria responder a seguinte questão: como alimentar nove bilhões de pessoas até o ano de 2050? “A ideia é popularizar e reinserir as pancs na alimentação das pessoas e ajudar na questão da inclusão produtiva e social, geração de trabalho e renda, por meio da horticultura”, explica Bruna.

Outro objetivo é estimular a criação de hortas sem o uso de agrotóxicos, com os alimentos não tradicionais, resgatando o hábito alimentar do passado e mostrando que uma outra alimentação é possível.

Poder provar as comidas preparadas com as pancs foi uma experiência interessantíssima. Escolhi o risoto com capuchinha para iniciar os trabalhos e logo me lembrei da minha infância quando vez que outra comia flor durante brincadeiras no quintal (é sério, gente). A capuchinha é comestível e tem um gosto amarguinho, tipo de agrião. Outro prato que me chamou atenção foi a polenta mole com ragu de ora-pro-nobis. Na prática a erva parece apenas uma rúcula ou algo do tipo, bem tranquilo de ingerir.

IMG_5488

IMG_5493

Mas quem ganhou meu coração foi a cheesecake de amora negra e cramble. Comeria em quantidades absurdas, hehehe. Pesquisando na internet descobri que se trata de uma planta medicinal indicada para o tratamento de diabetes, dor de dentes e até acne. Tem propriedades emoliente, adstringente, anti-inflamatória e vários outros benefícios. Pode ser consumida na forma natural ou no preparo de compotas, geleias, sorvetes, tortas (ou a maravilhosa cheesecake que provei no sábado) e ainda pode-se fazer chá com as folhas e casca.

IMG_5507

Em resumo, o projeto das alunas da Unisinos é bárbaro e as meninas estão de parabéns por levar adiante uma causa tão nobre. Ponto também para a Casa Destemperados que entrou na parceria e abriu as suas portas para o evento (e que lugar lindo, vale a pena conhecer). Veja mais fotos dos pratos e do evento a seguir (clique na imagem para ampliar).

Café Kinder Bueno do Sorella

Dizem que todo jornalista é viciado em café. E comigo não é diferente. Apesar de ter dentro de casa uma exceção (Pedro não pode nem com o cheiro), vejo que meus colegas compartilham da mesma paixão que eu: basta dar uma passadinha pela cozinha da empresa e perceber que pouco depois das 15 horas a térmica já está vazia. Na minha peregrinação em busca do café perfeito (ou desculpa para provar o pretinho básico de todas as cafeterias do mundo) já bebi muita coisa boa, outras nem tanto, mas minha mais nova paixão é o Café Kinder Bueno, do Sorella Café aqui de Santa Cruz do Sul.

cafe

Não posso fazer nada se a cafeteria fica quase ao lado da minha casa, não é mesmo? Por lá já havia declarado amor pelo café com Nutella, trocado uns olhares apaixonados com o capuccino, mas agora todos eles foram deixados de lado depois da chegada do Kinder. Foi mal aí, pessoal!

Além de ser um café, ele também serve como sobremesa, já que vem acompanhado de pedaços de Kinder Bueno que flutuam em cima do chantilly. Hummm, como resistir? Eu sei que é uma super gordice e que não deveria estar provando esta delícia em meio a uma reeducação alimentar, mas te digo que até dobro os execícios físicos da semana para apreciar o Café Kinder Bueno ao sábado (dia em que bato ponto lá no Sorella).

cafe2

Fotos: Reprodução/Facebook Sorella

Outra dica boa caso você queira provar o café do local, mas não tem tempo de ficar por lá, é que eles possuem opção “para levar”. São dois tamanhos de copos para você pegar o seu café e apreciá-lo onde bem quiser (mas aí são os cafés mais básicos). Mais uma dica, já que hoje estou querida, é com relação ao horário para ir ao local. Alguns amigos me dizem que já tentaram ir ao Sorella algumas vezes, mas o espaço estava lotado. Eu costumo ir um pouco mais cedo, tipo 14 horas, e sempre encontro lugar para sentar. Ah, e por fim: não abre na segunda-feira!

Serviço:
Sorella Café
Avenida Senador Alberto Pasqualini, 193, sala 5, Santa Cruz do Sul, RS.
Horário: Ter-Sex: 12 às 20 horas. Sáb: 10 às 20 horas. Dom: 15 às 20 horas.
Facebook: facebook.com/sorellacafesantacruz

PS: Este não é um post patrocinado, hehe. É só uma dica de onde encontrar a gordice amiga.

Receita de brigadeiro que não engorda

O senso comum de que tudo que é bom engorda ou faz mal acaba de cair por terra com a nova forma de se consumir banana. A biomassa preparada a partir da banana verde constrói prebióticos, componente famoso por ajudar o intestino trabalhar corretamente, pois contém um amido resistente, fonte de energia que funciona como alimento para as bactérias intestinais benéficas.

Desta maneira, ocorre uma manutenção perfeita da integridade da mucosa do intestino, que é responsável pela absorção adequada dos nutrientes e pela barreira da entrada de substâncias maléficas. Quando verde, a banana apresenta, ainda, baixa concentração de frutose, mas preserva seus sais minerais e vitaminas, o que ajuda as pessoas que querem manter a forma — pois o amido resistente dificulta a absorção de gorduras — e pode ser facilmente aplicada em receitas. Além de ser saborosa, a banana verde ainda pode ajudar na redução de peso e do colesterol, e controlar a quantidade de açúcar no sangue (glicemia).

amarildo henning

Pensando em todas essas vantagens, a chef curitibana Iracema Bertoco, professora dos cursos de gastronomia do Centro Europeu, se dedicou aos estudos e criou receitas especiais, entre elas um saboroso brigadeiro, utilizando biomassa de banana verde. Apaixonada pela gastronomia funcional, uma das principais e mais atuais formas de abordagens da nutrição, Iracema acredita que comer, além de nutrir, é um ato de prazer.

“Transformar o brigadeiro, símbolo de quilos a mais em um doce saudável para se comer sem culpa foi um desafio, pois ele tem uma referência de sabor e textura. Mas depois de muitos testes consegui um resultado que surpreende os apaixonados pelo doce, e a maioria das pessoas que prova diz que é melhor que o tradicional”, orgulha-se a chef.

Para completar a receita do brigadeiro saudável, Iracema usa leite condensado diet caseiro feito sem açúcar, à base de leite em pó, sucralose (adoçante derivado da cana-de-açúcar), manteiga, cacau em pó e raspas de chocolate diet. “O brigadeiro de banana verde se transformou em um grande sucesso na cidade de Curitiba. Não conheço ninguém que tenha experimentado e não tenha gostado”, comemora a profissional.

Por não ter cheiro e nem gosto de banana, a biomassa é muito versátil e pode ser utilizada em vários outros preparos. A chef Iracema Bertoco costuma utilizar a técnica para a produção de nhoque (substituindo a batata), bolos, cupcakes, pães, sopas, feijoada, purês e sucos. “Desta forma os impactos das gorduras e açúcares são minimizados no organismo ao saborear receitas deliciosas”, completa.

amarildo henning

RECEITA: Brigadeiro de Biomassa de Banana Verde

Biomassa de Banana Verde

Ingredientes:
· 4 Bananas bem verdes de qualquer variedade
· Água

Modo de preparo: Lavar bem as bananas com esponja e detergente, cortar as pontas sem deixar aparecer a polpa. Em seguida levar em uma panela de pressão com água fervendo, suficiente para cobrir as bananas. Contar 10 minutos a partir do inicio da pressão da panela. Deixar o ar sair e a panela perder a pressão sozinha. Separar as cascas das polpas e levar apenas as polpas bem quentes para processar até que fique uma massa homogênea. Para ajudar processar pode-se utilizar água desde que seja bem quente. Rendimento: +ou- 100g. Obs: Nunca utilizar a água do cozimento das bananas para misturar à polpa, pois ela contém tanino que escurece a massa.

Leite condensado light

Ingredientes
· 400g de leite em pó desnatado
· 150 ml de água fervente
· 10 g de sucralose
· 60 g de manteiga

Preparo: Bater todos os ingredientes no liquidificador e reservar

Brigadeiro

Rendimento: 40 brigadeiros com apenas 40 calorias cada
Custo da receita: 15 reais
Tempo de preparo: 30 minutos

Ingredientes
· 1 receita do de leite condensado diet caseiro
· 100g de biomassa de banana verde
· 80 g de cacau em pó
· 100g de chocolate diet picado
· 150g de chocolate diet ralado (usar no lugar do granulado)

Preparo: Colocar os quatro primeiros ingredientes em uma panela e levar ao fogo brando mexendo sempre até atingir ponto de brigadeiro comum. Deixar esfriar, enrolar e passar no chocolate diet ralado.