Categoria: Pele

Como tratar as espinhas

Beauty portrait

Quem já passou pela fase da adolescência sabe o quanto a acne incomoda. É muito ruim se olhar no espelho e constatar que aquela bolinha vermelha está bem ali, na bochecha ou no nariz. E não tem maquiagem que a esconda, ao contrário, quanto mais se tenta disfarçar, mais aparece. E quando a acne surge na fase adulta? Pior ainda. O jeito é detectar as causas e buscar tratamento adequado.

Considerado um dos problemas dermatológicos mais comuns entre os brasileiros, existem vários fatores que podem levar ao aparecimento da acne na fase adulta, como desequilíbrios hormonais, estresse, tendência hereditária e ainda o uso de alguns medicamentos. Além de interferir na autoestima, dependendo do grau, a acne pode deixar marcas na pele que ficarão para a vida toda.

O primeiro passo é manter a pele sempre limpa e usar produtos adequados. E vamos combinar que opções é que não faltam. É imprescindível buscar a orientação do dermatologista na escolha do melhor tratamento. Os procedimentos estéticos são indicados para a acne graus 1 e 2, ou seja, quando a pele possui cravos pretos e brancos, além de algumas espinhas não muito inflamadas. Já nos casos de acnes 3 e 4, a pele apresenta muitas espinhas inchadas, inflamadas e doloridas. Aí os procedimentos são diferentes e precisam de acompanhamento do dermatologista.

Uma verdadeira tacada de mestre é a loção secativa, que reduz a oleosidade e promove efeito mate duradouro. Em geral o produto pode ser usado no rosto todo e além de disfarçar as espinhas ainda protege contra os raios do sol.

Também vale a velha e boa orientação de que a alimentação deve ser a mais natural possível. Evite comer alimentos gordurosos e frituras, busque ingerir bastante fruta e verdura, troque o refrigerante por suco natural e não se esqueça da água. Beber água em abundância faz a engrenagem do organismo funcionar melhor, turbina os rins e o intestino. O reflexo do organismo equilibrado certamente será na pele do corpo inteiro. E por último e bem importante: livre-se da tentação de espremer espinhas e cravos.

Os perigos do bronzeado

1306507084114

Por mais desejada que seja pelas mulheres, pele bronzeada é sinônimo de pele queimada pelo sol, ou seja, danificada pela exposição solar e suscetível a envelhecimento precoce, manchas e, até mesmo, câncer. “A radiação solar estimula o organismo a produzir enzimas que destroem o colágeno, acelerando o envelhecimento. Além disso, os raios promovem uma mutação do DNA, o que leva ao desenvolvimento do câncer”, explica a dermatologista Annia Cordeiro Lourenço.

É por isso que se bronzear é totalmente contraindicado, mesmo que seja usando protetor solar. “Não é possível ‘pegar uma cor’ usando filtro solar adequadamente. Se a pele ficar morena significa que ela recebeu radiação, ou seja, a proteção não foi efetiva”, afirma a especialista.

Por isso, é impossível proteger a pele dos danos dos raios solares e ao mesmo tempo ficar com a “cor do verão”. Levando em consideração os riscos que o sol representa, Dra. Annia orienta cada um a manter seu próprio tom de pele. “Além do envelhecimento precoce e do risco do câncer de pele, a exposição ao sol sem proteção pode provocar manchas em todo o corpo”, comenta.

Bronzeamento artificial: tipos e riscos

Já está proibido pela ANVISA o uso de camas de bronzeamento artificial devido aos riscos de câncer de pele. Qualquer bronzeamento artificial que utilize luz ultravioleta é contraindicado. “Esse tipo de procedimento pode ser ainda mais prejudicial à pele do que a própria exposição ao sol sem proteção. Ele aumenta – e muito – os riscos do desenvolvimento de câncer de pele”, alerta.

Uma opção que é bastante utilizada são os autobronzeadores, cosméticos que promovem uma oxidação da camada de pele morta, o que resulta em uma cor semelhante ao do bronzeado. A dermatologista explica que, apesar de não penetrar nas camadas mais profundas da pele e não estimular a produção de melanina, estudos recentes mostram efeitos colaterais do uso desses produtos. “Descobriu-se que os autobronzeadores também envelhecem a pele – assim como a exposição solar – pois estimulam uma reação química chamada de glicação, que está relacionada ao processo de envelhecimento”. O mesmo aplica-se aos bronzeamentos a jato, já que são usadas substâncias semelhantes para escurecer a pele.

Entre as opções disponíveis no mercado, as formas mais segura de escurecer a pele são as pílulas de bronzeamento, que uniformizam o tom da pele com uma sensação de bronzeado. Como resultado, a pele recebe um pigmento chamado caroteno. Semelhante à melanina, ele protege contra a penetração dos raios solares, impedindo parte da ação deles. Entretanto, esses produtos não substituem o protetor solar.

Mitos e verdades sobre a pele oleosa

Cravos, espinhas, poros abertos e evidentes, brilho excessivo ao longo do dia. Esses são alguns dos problemas com os quais pessoas de pele oleosa precisam lidar diariamente. Mas, afinal, o que causa a oleosidade? Que tipo de sabonete usar? É preciso hidratar? Confira alguns mitos e verdades sobre a pele oleosa.

body care

Pele oleosa não precisa de hidratante. Mito. Pele oleosa não é sinônimo de pele hidratada. Ela pode ressecar e, por isso, ficar mais suscetível a infecções e irritações. “Quem tem pele oleosa também deve hidratar, preferindo produtos em gel e sem óleo em sua composição. Há hidratante próprios para esse tipo de pele que, além de hidratar, ajudam a diminuir a oleosidade e o brilho”, explica a dermatologista Annia Cordeiro Lourenço.

Lavar o rosto várias vezes ao dia ajuda a diminuir a oleosidade. Mito. A lavagem do rosto diminui a oleosidade da pele apenas se for feita com sabonete adequado e, no máximo, duas vezes ao dia. Lavar o rosto muitas vezes ao dia acaba ressecando a pele e, como efeito rebote, aumenta a produção de sebo. É uma tentativa do organismo de proteger a pele que ficou seca.

Pele oleosa tem mais tendência à acne. Verdade. Na pele oleosa, há uma produção elevada de sebo, que acaba se acumulando e obstruindo o poro. O resultado é a proliferação de bactérias causadoras da acne. “Os poros abertos e evidentes também são um dos resultados dessa obstrução causada pelo sebo. Ainda há outros fatores que podem deixar os poros evidentes, como o ressecamento, acúmulo de células mortas e a perda de colágeno e elastina”, explica.

O uso de filtro solar aumenta a oleosidade. Em partes. O uso de um filtro solar adequado não irá aumentar a oleosidade da pele e é fundamental para manter a saúde e prevenir doenças graves, como o melanoma. O dermatologista saberá indicar um protetor sem óleo que seja mais indicado para cada paciente. Hidratantes e filtros solares muito oleosos podem piorar a obstrução dos poros, agravando o quadro de acne.

Quem tem pele oleosa não pode usar maquiagem. Mito. O uso de maquiagem pode aumentar a oleosidade da pele, mas existem diversos produtos que são indicados para pele oleosa. Algumas maquiagens têm ingredientes eu até contribuem para o controle da oleosidade.

Uma vez oleosa, sempre oleosa. Mito. Ao longo da vida, a pele passa por muitas mudanças. Clima, idade, alterações hormonais são alguns dos fatores que podem tornar a pele mais ou menos oleosa. Por isso, a visita ao dermatologista deve ser periódica para que os tratamentos realizados sejam sempre revistos.

BB cream da Benefit

A Benefit lançou em setembro o BB Cream Big Easy, um multi-balanceador feito para conseguir uma pele natural, aveludada e com acabamento seco. O produto está disponível em 5 tons.

– Hidrata e controla a oleosidade;
– Ajusta automáticamente ao tom de cada pele;
– Uniformiza e da acabamento de pó-líquido;
– Protege de raios UVA e UVB com FPS 35 PA+++, ajudando a prevenir os sinais da idade;
– É livre de óleo, livre de fragrâncias e não comedogênico;
– Contém extratos botânicos derivados do alcaçuz, que balanceiam a pele.

Preço:R$ 190,00
Sac: www.sephora.com.br

February_BenefitBigEasy_Hero_450x500

Diferenças da cera quente e cera fria

depilacap

A cera quente é ideal para quem não se incomoda tanto com dor ou até mesmo para quem está fazendo a sua depilação com cera pela primeira vez. A cera quente também é eficiente nas regiões pequenas do corpo, como axilas e virilha, mas também pode ser usada em pernas, braços e buços.

A cera fria possui a praticidade de ser usada a qualquer momento e pode ser uma ótima opção para ser levada em viagens, por exemplo. Ela é indicada para a mulher que tem sensibilidade ao calor e que deseja eliminar pelos mais curtos.

O resultado da depilação com cera fria ou quente é de até 4 semanas, uma vez que esse tipo de método retira o pelo desde a raiz. Outra vantagem é que, com o processo contínuo de depilação com cera, ocorre uma diminuição gradual na quantidade de pelos. E a possibilidade se depilar em casa confere praticidade, tempo, liberdade e privacidade à mulher.

Cera fria – O primeiro passo para conseguir resultados positivos com qualquer depilação é que a pele esteja limpa e seca. A cera fria vem em uma folha dupla que deve ser esfregada entre as mãos, para que se separarem facilmente. Em seguida, as folhas devem ser colocadas no local a ser depilado, na direção do crescimento do pelo. Para retirar a folha o correto é retira-la o mais rápido possível, no sentido contrário ao nascimento dos pelos.

Axilas: Vale lembrar que os pelos das axilas nascem em duas direções diferentes, por esse motivo é necessário realizar a depilação em duas etapas.

Virilha: Para as virilhas o ideal é dobrar a perna para fora, para ter mais acesso aos pelos. O melhor é aplicar as folhas em pequenas áreas por vez.

Para um melhor resultado aplique um pouco de talco na região a ser depilada, garantindo que a pele esteja seca antes de depilar. Para manter a pele linda e macia e evitar a irritação, não aplique produtos perfumados e evite nadar, tomar sol ou fazer bronzeamento artificial no período de 24 horas após a depilação. Caso fique excesso de cera no corpo, o ideal é utilizar uma gaze com óleo corporal infantil.

Cera quente – O primeiro passo é conferir se a pele está completamente limpa e seca. A cera quente deve ser aquecida no micro-ondas no tempo médio de 40 segundos. Depois de conseguir a temperatura correta, chegou a hora de ser corajosa e aplicar uma camada de cera no local a ser depilado. Espalhe a cera no sentido do nascimento do pelo. O ideal é deixar a extremidade da tira mais grossa para conseguir puxar no sentido contrário do nascimento do pelo. Vale ressaltar que quanto mais rápido puxar, melhor será o resultado.

As ceras Veet são as mais conhecidas e vendem em muitos locais no Brasil, inclusive nos supermercados.

image012b